Otto DÖRR

Professor Dörr é um dos grandes representantes da Psicopatologia Fenomenológica latino-americana. Formou-se e atuou no Chile, em Madri, em Freiburg, em Heidelberg, em Berna, em Paris e em Leipzig.  Em suas estadas em Heidelberg, foi contemporâneo de uma frutífera geração à qual também pertenciam Tellenbach, Blankenburg, Kimura e Kraus. Desenvolveu especial relação com seu mentor Tellenbach e com o filósofo Gadamer. Em sua exitosa carreira, a amplidão não é apenas geográfica. Essa reflete-se também na vastidão e na diversidade de interesses e atividades às quais Otto Dörr se dedicou. Os livros “Psiquiatría Antropológica: Contribuciones a una psiquiatría de orientación fenomenológico antropológica” (1995)” e “Espacio y Tiempo vividos: Estudios de antropología clínica” (1996) sintetizam a magnitude, a complexidade e a profundidade de sua obra. Com estilo claro e sucinto, estudou as complexas relações entre o fenômeno do delírio e a verdade, entre a esquizofrenia e a interpessoalidade, entre a depressão e a corporeidade, entre a histeria e epilepsia, entre a anorexia e a interação familiar, entre a temporalidade e a conduta afetiva, entre personalidade e psicopatologia, entre normalidade e anormalidade. Também evidenciou a problemática da interpessoalidade no processo terapêutico, segundo o enfoque fenomenológico-existencial.

Deixe uma resposta