Ludwig BINSWANGER

Ludwig Binswanger (1881- 1966) médico psiquiatra nascido na Suiça alemã, dirigiu a célebre clínica Bellevue em Kreuzlingen nas margens do lago de Constance. Após uma primeira influência psicanalítica, sobretudo por sua amizade com S. Freud com quem manteve correspondência durante trinta anos, rompe com a psicanálise e recusa o pensamento objetivante próprio às ciências naturais.

Sua ampla formação intelectual, não só como psiquiatra, mas também filosófica lhe permite marcante inspiração nas obras de E. Husserl e M. Heidegger. Em 1922 publica uma conferência intitulada “Sobre Fenomenologia” e inicia uma linha de pensamento dirigida pela exploração do conceito husserliano de intencionalidade da consciência. No ano de 1927, é publicado “Ser e Tempo” de Heidegger e esta obra propicia a Binswanger, com o conceito de ser-no-mundo heideggeriano, descrever os mundos constituídos dos doentes mentais e elaborar a “Daseinsanálise” como método fenomenológico de análise e estudo das manifestações psicopatológicas sempre a partir dos estudos de casos individuais.

Em 1956 publica “Três Formas da Existência Malograda” e em 1957 reúne os cinco estudos de casos daseinsanalíticos de esquizofrenia ( “Ilse, Ellen West, Jürg Zünd, Lola Voss e Suzanne Urban”) na obra “Esquizofrenia” para qual escreve uma importante introdução. Essas obras precedem sua última fase na qual Binswanger se apoia na fenomenologia transcendental inspirada pelo Husserl tardio nos estudos de Estrutura Temporal Fundamental, Subjetividade e Egologia Transcendental. Publica nessa fase “Melancolia e Mania” (1960) e “Delírio” ( 1965).

Deixe uma resposta