John CUTTING

A trajetória de John Cutting é bastante original. Interessou-se inicialmente pelas bases neurocientíficas dos transtornos psicóticos, publicando relevantes trabalhos sobre o papel do hemisfério cerebral direito na esquizofrenia. Gradualmente, por meio de intensos estudos filosóficos, passou a dedicar-se à psicopatologia dos vividos, que denomina psicopatologia metafísica. Sua obra mais alentada é A Critique of Psychopathology. Nela, reintroduz a noção clássica de essência na psicopatologia, inspirando-se, para isso, na obra do filósofo Max Scheler. Sua concepção de essência psicopatológica é singular no cenário da psicopatologia contemporânea.

Deixe uma resposta