Erwin STRAUS

Um dos fundadores da psicopatologia fenomenológica, Straus se filia ao grupo de autores fenomenológicos que, como Minkowski, esforçaram-se por delimitar um campo específico para a psicologia e a psicopatologia dentro das ciências humanas. Em sua obra mais representativa, do período inicial de sua carreira (publicada em 1935), O sentido dos sentidos (Vom Sinn der Sinne), analisa as insuficiências da fundamentação cartesiana da psicologia. Procura demonstrar que a psicologia deve basear-se na unidade dos sentidos e dos movimentos, para que possa traduzir a real situação humana vivida. A despeito do caráter reflexivo de sua principal obra, Straus jamais se limitou a fazer da psicologia uma derivação da filosofia. Suas obras psicológicas e psicopatológicas, das quais se destacam Acontecimento e vivência (Geschehnis und Erlebnis) e Psicologia Fenomenológica exalam uma síntese ímpar entre erudição e capacidade clínico-reflexiva. Deixou importantes contribuições para o tema das fobias, das obsessões e, sobretudo, dos fenômenos alucinatórios.

Deixe uma resposta